DevOps Summit Brasil 2016: +10 Ferramentas para Melhorar a Qualidade de seu Software

capa-palestra-devops-summit-brasil

No último final de semana, tivemos a primeira edição do DevOps Summit Brasil 2016. Foi um evento de 2 dias e eu tive o prazer de palestrar no segundo dia sobre o tema que é o título deste post.

Logo após encerrar a minha palestra que apresentou ferramentas como Code Analysis, Code Clone, Code Metrics, IntelliTest, Code Coverage, Selenium, Application Insights e SonarQube, comecei a ter feedbacks de pessoas que estavam muito interessadas em assistir o conteúdo, mas que não puderam porque a sala estava um pouco cheia.

sala-cheia-devops-summit andre-dias-devops-summit

Para que ninguém se sinta prejudicado e mesmo para que os que não puderam comparecer ao evento tenham acesso ao conteúdo, decidi gravar a palestra e disponibilizar aqui no blog.

Abaixo vocês podem ter acesso aos slides e também a gravação da palestra.

Slides

Vídeo

Espero que gostem.

Abraços
André Dias

Reduzindo custos e aumentando a produtividade com ambientes de dev / test no azure

Nos dias 10 e 11 de Outubro, tivemos mais uma edição do Azure Summit Brasil 2014.

Foi um evento muito bacana onde no primeiro dia tivemos o conteúdo 100% focado no público executivo, enquanto no segundo dia o foco foi no público técnico.

Tive a oportunidade de palestrar como organizador e palestrante e abaixo vocês podem acompanhar os slides e vídeo da minha palestra onde mostrei como TFS, Lab Management, Release Management, System Center e Azure podem trabalhar de forma integrada para ajudar a sua empresa a aumentar a produtividade e reduzir custos com ambientes de Dev/Test.

Espero que gostem.

Abraços e até a próxima.

Continuous Delivery para Windows Azure usando Team Foundation Service e Git

Como mencionei no post anterior, no último 16/03 aconteceu o Azure Summit Brasil 2013, evento em que tive a oportunidade de participar como organizador e como palestrante.

IMG_8931 (2048x1365)

Na minha palestra, abordei um assunto que já venho falando há algum tempo: Continuous Delivery. Porém, desta vez, optei por tratâ-lo de uma forma mais conceitual onde comentei sobre as diferenças entre os conceitos de Build, Build Server, Continuous Integration, Continuous Deployment e Continuous Delivery, além de abordar alguns patterns e anti-patterns de deployment.

Outra mudança foi o foco da palestra, onde o ALM foi deixado como coadjuvante dando grande espaço ao Windows Azure, em que demonstrei as práticas de Continuous Delivery com Cloud Services e Azure Web Sites integrados com Team Foundation Service e Git. 

Para você que ficou interessado e gostaria de assistir ou que já acompanhou ao vivo e gostaria de ver novamente, deixo abaixo dois links para os slides e para a gravação da palestra.

Slides

Vídeo

Abraços e até a próxima.
André Dias

Azure Summit Brasil 2013

No último 16 de março, aconteceu o Azure Summit Brasil 2013, o maior evento de Windows Azure do país.

Posso dizer que foi o maior e mais trabalhoso evento que já organizei. Devido há algumas restrições, tivemos praticamente 5 semanas entre tirar um evento do papel e acomodar mais de 250 pessoas nos auditórios da Microsoft.

483868_477098742339240_1894292573_n

Números

Além das 250 pessoas que acompanharam o evento presencialmente, tivemos mais de 700 inscritos que ficaram em lista de espera, mais de 1.000 acompanhando o evento que foi transmitido online e esperamos ter outras milhares de pessoas acompanhando as gravações das palestras que estão sendo liberadas desde ontem no canal do evento no YouTube.

Com um prazo tão agressivo, precisavamos de uma forma de divulgação rápida e as redes sociais nos ajudaram demais nesse assunto. Em poucos dias, tivemos um alcance de 180.000 pessoas indiretas, 5.000 diretas e mais de 600 pessoas engajadas com a divulgação em redes como Facebook e Twitter.

Organização

O evento foi organizado pela BR Soluções Integradas, onde eu e o Evilázaro Alves representamos a empresa, mas contamos também com um grande apoio do MVP em Azure, Lucas Romão, do Luciano Condé, Gerente de Produto do Windows Azure, além dos times de DPE, Vendas e Parcerias da Microsoft Brasil que deram uma grande força na divulgação do evento.

538316_467807373268377_525795371_n 734096_477088642340250_865991893_n 537646_477088679006913_73175793_n

Falando em divulgação, não dá pra deixar de mencionar a gravação que Scott Guthrie, Corporate Vice President de Server and Tools Business fez, convidando o pessoal para o Azure Summit Brasil 2013.

Palestrantes & Palestras

Ao contrário de muitos eventos, a seleção de conteúdo e palestrantes acabou sendo a parte mais fácil de toda a organização do evento.

No lado do conteúdo, não tivemos que pensar muito, uma vez que decidimos cobrir 100% da plataforma. Nosso maior desafio foi organizar o conteúdo em trilhas adequadas e trazer para o evento assuntos não técnicos e poucos discutidos como Modelos de Negócio na Nuvem, Licenciamento, Segurança, entre outros.

164438_477088112340303_1939881684_n 487612_477087625673685_1424710579_n 578001_477087949006986_1575740230_n

Já no lado dos palestrantes, a escolha também não foi difícil. Inicialmente, adotamos um critério de seleção onde os palestrantes seriam formados por pessoas do grupo Azure Champs Brasil, funcionários da própria Microsoft e MVPs e depois disso foi apenas fazer um match de palestrantes e palestras.

A voz da comunidade

Gostaria de destacar também algumas publicações que descreveram muito bem o que foi o evento. São elas:

Canais

Apesar do evento presencial ter durado apenas um dia, o Azure Summit Brasil continua vivo na internet. Então, não deixe de assinar os canais no YouTube, Facebook e Twitter e fique ligado nas publicações das gravações das palestras, notícias sobre a plataforma de nuvem da Microsoft e divulgação de eventos futuros.

Curiosidades

Você sabia que o Azure Summit Brasil quase foi cancelado? Pois é, há 3 dias da realização do evento, a Microsoft foi notificada que devido a manutenções na rede elétrica não haveria energia no bairro e consequentemente no prédio onde o evento seria realizado.

Após considerarmos diversas possibilidades, entre elas o cancelamento do evento, optamos por manter tudo como programado e o Luciano Condé, assumiu a responsabilidade de montar uma força-tarefa para garantir a realização do evento a base de geradores.

Se não tivessemos anunciado, acredito que poucas pessoas perceberiam que iluminação, internet, ar-condicionado, elevadores, banheiros e toda a infraestrutura estava a base de geradores. Isso sem contar apoio de bombeiros e um time de contenção para garantir toda a segurança e a qualidade do evento.

Fica aqui o meu agradecimento ao Luciano Condé, que, utilizando palavras de Paulo Iudicibus, diretor de DPE, literalmente deu a luz ao evento.

Espero que vocês tenham curtido o evento tanto quanto eu.

Abraços e até a próxima.
André Dias

Contribuição com o Azure Storage Explorer

Entendendo o cenário

Há algum tempo venho trabalhando em um projeto que está hospedado no Windows Azure e que possui uma grande quantidade de conteúdo estático (vídeos, slides, etc).

No início do projeto, quando esse conteúdo era bem menor, eu não dei muita importância e optei por fazer o deployment deste conteúdo junto com a aplicação web. O tempo do deployment aumentava um pouco, porém era algo suportável. Algo em torno de 30 minutos para o upload e implantação do pacote.

O problema foi quando esse conteúdo começou a crescer absurdamente e o tempo de deployment da aplicação pulou de 30 minutos para mais de 5 horas. Nem preciso falar que é um tempo inaceitável e que fui praticamente obrigado a migrar todo esse conteúdo para BLOB.

Porém, trabalhar com BLOB não é uma das tarefas mais divertidas de se fazer com Azure. Se você ainda não teve essa oportunidade, vale a pena dar uma olhada no código necessário para amazenar um simples arquivo no storage do Windows Azure.

Azure Storage Explorer

Para a felicidade de muitos, temos uma aplicação bastante conhecida chamada de Azure Storage Explorer que funciona como um Windows Explorer para Azure. É uma ferramenta bastante poderosa que nos permite manipular Tabelas, Mensagens, Contêineres e BLOBs de uma forma bastante simples.

Apesar de bastante poderosa, ela não era muito útil pra mim, afinal eu precisava de duas features que ela não suportava:

  1. Upload de pasta com recursividade;
  2. Gravação dos arquivos com nomes que possam ser acessados como se estivessem em uma estrutura de pastas. Algo como “Minha Pasta Falsa/Minha Sub Pasta Falsa/Meu Arquivo” e com isso eu poderia acessar o seu conteúdo atráves de uma URL como http://<nome>.blob.core.windows.net/<conteiner>/Minha Pasta Falsa/Minha Sub Pasta Falsa/Meu Arquivo.

Contribuição

Como vocês já devem ter percebido. Ela não suportava, mas agora suporta.

Como o Azure Storage Explorer é uma ferramenta open source, pude baixar o código, implementar os recursos que eu precisava e submeti o patch para o owner do projeto. Enquanto, o patch está em avaliação para ser incorporado ao projeto final, você pode baixar a versão modificada no seguinte endereço http://azurestorageexplorer.codeplex.com/SourceControl/list/patches (Patch ID 11226).

Abaixo, vocês podem ver alguns screenshots das modificações e espero que essas mudanças sejam tão úteis para vocês como foram para mim.

Azure Storage Explorer 1
Imagem 1: Selecionando uma pasta para upload

Azure Storage Explorer 2
Imagem 2: Pasta enviada e arquivos com o seu path no nome

Um abraço e até a próxima!
André Dias

Azure Platform

Eu devo ter em torno de 150 feeds no meu leitor RSS e acredito que pelo menos 10% deles publicaram alguma coisa sobre essa nova plataforma da Microsoft, o Azure. Eram posts publicados por pessoas do times de produtos, MVPs, pessoas que estavam acompanhando o PDC online, etc.

Mas afinal o que é o Azure? Eu confesso que ainda não digeri toda essa informação. É um novo sistema operacional? É um novo framework? É uma nova plataforma? É uma nova forma de construir software? Parece que é tudo isso. O engraçado é que me lembro de já ter passado por isso na época do lançamento do .net, onde tinhamos o Windows .Net Server (Windows 2003), o ASP+ (asp.net), ADO+ (ado.net), web services. E a pergunta que mais se ouvia era: O que é .NET ??

Enfim, demorou mas entendi o que era .NET, naquela época aprendi a construir software de uma maneira diferente, o conceito de serviços estava mais forte do que nunca, o XML começava a ficar popular e hoje temos um novo ciclo começando, o ciclo da cloud computing e o Azure é o cara que vai tornar tornar isso possível. (ok nem tanto, ele vai facilitar a nossa vida).

Dei uma olhada muito rápida pelo Azure, mas gostei de saber que vamos ter uma infra de ESB, Access Control, Workflow prontinha para utilizarmos. Agora é só colocar um tempinho na agenda pra conseguir entender como isso funciona.

Ah lógico, esse tempinho tem que ser compartilhado com WCF, WF, Entity Framework, ADO.NET Services, SQL 2008, SSDS, Sync Framework, Velocity, VSTS 2010 … Vai ser moleza !!!

Alias, queria entender porque a Microsoft Brasil organizou um TechEd sabendo que ia ter esse monte de novidade duas semanas depois do evento. Poderia ter um PDC Brasil daqui uns 2 ou 3 meses né ?? Facilitaria a nossa vida !

Abraços
André Dias